Mozambique

Country Summary:

Board Members Marta Cumbi
Staff Members Alice Banze, Cesar Neves, Raul Manhisse, Catarina Madade, Graça Maria, Issumalgy Assane, Joaquim Chambule
When registered 2011
Alliance focal network Mozambique – Forum Mulher

Angola – Plataforma Mulher em Acção

Government COEs 20
View the Centres of Excellence
Media COEs 12 See GL in News
Key partners Ministry of Gender, Ministry of Environment, Ministry of State Administration, Ministry of Health, National Municipality Association, Forum Mulher, Plataforma Mulher em Acção, Mozambican Parliament, WLSA, Oxfam, MASC, DIALOGO, Local women’s Associations, Diakonia, We-Effect, COEs Local Government, Entrepreneurship Councils, Media Houses

Read more in the Mozambique  county report.

Mozambique Strategy 2016 – 2020 


Women’s land rights in Southern Africa: Consolidated baseline findings from Malawi, Mozambique, South Africa, Zambia and Zimbabwe

This report presents the consolidated findings from 5 national baseline studies that were undertaken in 2009.The Women’s land Rights in Southern Africa Project is aimed at enhancing women’s access to, and control over land and other productive resources to meet their basic livelihood needs and become more economically independent. It targets rural women farmers in selected areas.

March 12, 2013 Themes: Agriculture | Land Programs: Gender and Media Diversity Centre (GMDC) | Report

Internacional: Onde estÁ¡ a polÁ­cia quando mais precisas

Internacional: Onde estÁ¡ a polÁ­cia quando mais precisas

Embora o trabalho da polÁ­cia seja um elemento crucial na luta contra a violência baseada no género, quase que não aparece reflectido nas discussÁµes da sociedade civil presente na 57 ª Sessão da Comissão das NaçÁµes Unidas sobre o Estatuto das Mulheres (CSW 57).

Um olhar sobre o programa de uma semana só mostra um único evento em que se fala directa e claramente sobre o envolvimento da polÁ­cia. Se falou-se do trabalho da polÁ­cia, foi como uma nota de rodapé.

A ausência de eventos visando discutir os serviços que a polÁ­cia presta, por exemplo, Á s vÁ­timas de violência baseada no género é algo um pouco estranho. Afinal, é a polÁ­cia que é responsÁ¡vel por investigar casos de violência baseada no género e violência doméstica.

Land reform, conflict and poverty eradication in Southern Africa – case analysis of selected countries

The definition of land reform is not easy. Even in the most stable countries, it is a volatile and politically challenging process. This study seeks to critically engage with the nexus that informs land and agrarian reforms, poverty reduction and conflict prevention/reduction in five southern African countries: South Africa, Namibia, Zimbabwe, Tanzania and Mozambique. In essence what are some of the key prerequisites that must be adhered to in any land reform programme, if the reform initiatives are going to contribute to poverty reduction. And conflict reduction in these countries.

Young woman committed to overcome double suffering

Young woman committed to overcome double suffering

Two years ago I travelled from my village in Zavala, in Inhambane Province to Maputo, Mozambique ´s capital, to undergo my third surgical fistula repair. I was 23 years old at the time and had been suffering from obstetric fistula for seven years, since the day I delivered a stillborn baby at my house with assistance from my mother, after hours in labour.

Moçambique: Como algumas cançÁµes perpetuam o patriarcado

“Essa dama é uma goya, xipixe xa nova xa kufana ni lexiya (gata selvagem parecida com a outra…À Este é o trecho de abertura de uma pretensa canção do pretenso género musical Pandza, que a partida parece pretender criticar o comportamento considerado promÁ­scuo de certas mulheres.

A tal pseudo-canção é da autoria dos Cizer Boss, com a participação de um tal de Dey. Portanto, são jovens do sexo masculino que talvez pretendam interpretar o social através das suas pseudo-cançÁµes. E no vÁ­deo aparecem moças, as tais goias, a dançarem com movimentos obscenos.

Obviamente que tanto a canção como o vÁ­deo são a representação de uma sub-cultura musical eivada de violência e sexismo Á  la “gangster rapÀ norte-americano. O conteúdo resume-se Á  objectivação sexual da mulher e seu corpo À“ nos Estados Unidos, alguns pesquisadores têm vindo a fazer estudos muito interessantes que até certo ponto estabelecem uma correlação entre os “rapsÀ violentos e desumanizantes e a alta do crime, especialmente dos casos de estupro.

Talvez em Moçambique precisemos de fazer estudos para ver até que ponto as mensagens e conteúdos (?) Pandzas não estejam a perpetuar os estereótipos do género, e ajudar na manutenção do sistema patriarcal que insiste em querer controlar o corpo da mulher, isto é, a mulher não pode decidir por si o que pode ou deixar de fazer com o seu corpo.

Moçambique: Activistas do género começam a concentrar-se em Nova Iorque

ctivistas e OrganizaçÁµes de sociedade civil na Á¡rea do género de vÁ¡rias regiÁµes do mundo concentram-se a partir de 4 de Março, em Nova Iorque, para em unÁ­ssono continuar a advogar para a eliminação e prevenção de todas a formas de violência contra a mulher e rapariga, bem como discutir a partilha de responsabilidades entre homens e mulheres.

São activistas e organizaçÁµes que ao longo do ano, desde a última sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher das NaçÁµes Unidas (UN CSW),discutiram entre si, traçaram estratégias, e trabalharam no sentido de contribuir eficazmente para melhorar a sua capacidade de influenciar polÁ­ticas e leis a favor da igualdade do género a nÁ­vel nacional, e a sua capacidade de influenciar os resultados e conclusÁµes da CSW a nÁ­vel regional.

Moçambique: ProvÁ¡vel apagão digital pode perigar direito das mulheres Á  informação

No dia 17 de Junho de 2015, o mundo de radiodifusão vai acordar totalmente transformado À“ em cumprimento da decisão mandatada pela União Internacional das TelecomunicaçÁµes (UIT), todos os operadores de radiodifusão deverão ter migrado da tecnologia analógica para a tecnologia digital num processo alcunhado de migração digital.

Mais de que um simples ligar ou desligar de um interruptor, a decisão da UIT, organismo das NaçÁµes Unidas responsÁ¡vel pela coordenação dos serviços de telecomunicaçÁµes a nÁ­vel global, vai ter implicaçÁµes sérias nas vidas das populaçÁµes mundiais. Se as populaçÁµes do mundo ocidental não terão o mesmo problema visto que o processo de migração iniciou hÁ¡ anos e pode se dizer que terminou, jÁ¡ as dos paÁ­ses em desenvolvimento ainda esperam ansiosas para saber se farão parte do novo mundo.

Afrique australe: repousser sans cesse les frontières de l’égalité du genre

Maputo, 20 février : La semaine dernière, alors que je m’asseyais dans une salle conditionnée de l’hôtel Polana et que j’examinais une longue liste de choses Á  compléter, je me suis demandé si je n’avais pas mieux Á  faire que d’écouter des interventions emphatiques de fonctionnaires Á  propos de la parité.
Comme n’importe quelle directrice exécutive d’organisation non-gouvernementale (ONG), mon esprit allait des discours Á  d’autres préoccupations du moment À“ évaluations, délais Á  respecter, financement, organisation de 12 Sommets, questions administratives Á  gérer par rapport au personnel, soumission de notre rapport annuel, conseil d’administration Á  venir et que sais-je encore. Je me suis demandé si des réunions comme celle des ministres du Genre des pays de la SADC, tenue en marge de la conférence de la Commission sur le Statut des Femmes en mars prochain, feraient une différence ?

Incluir mudanças climÁ¡ticas no Protocolo de Género da SADC

Uma petição da necessidade de se incluir as mudanças climÁ¡ticas no Protocolo de Género e Desenvolvimento da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) serÁ¡ entregue aos chefes de estado e de governo durante a 32 ª Cimeira a decorrer entre 17 e 18 do mês em curso, em Maputo.
O documento que estÁ¡ a ser elaborado pela Aliança do Protocolo de Género da África Austral sugere a definição de estratégias claras que possam reduzir o impacto das mudanças climÁ¡ticas nas mulheres, segundo informou ontem, Nzira de Deus, do Fórum Mulher, num encontro realizado em Maputo com a finalidade de se criar a Aliança do Protocolo da SADC em Moçambique.

NAMPULA – Aumentam casos de bilharziose em Muecate

O USO de Á¡gua contaminada, sobretudo dos rios elagoas, nomeadamente para o consumo humano e higiene individual estÁ¡ a concorrer para o aumento dos casos de bilharziose, no distrito de Muecate, na provÁ­ncia de Nampula, sobretudo em crianças e adolescentes dos cinco aos 15 anos de idade.
O facto foi dado a conhecer ao nosso Jornal pelo director distrital do Serviço da Saúde, Mulher e Acção Social, Felisberto Manuel, o qual indicou que o quadro clÁ­nico ameaçador precipitou o seu
sector a reforçar as actividades previstas na campanha de sensibilização Á s comunidades sobre a gravidade que tais prÁ¡ticas constituem para o bem-estar.
A bilharziose é responsÁ¡vel por sintomas de fraqueza constante por parte da pessoa infectada, pois, o seu organismo passa a experimentar dificuldades para absorver os nutrientes dos alimentos
que consome, facto que pode culminar numa anemia.
Por outro lado, a doença afecta o funcionamento de vÁ¡rios organismos considerados vitais para o gozo pleno de boa saúde, entre rins e de todo tracto urinÁ¡rio, podendo ser fatal quando a enfermidade não for tratada convenientemente. A infertilidade é outra doença que pode acometer o paciente que sofre de bilharziose.

Mozambique

Office

Country ManagerAlice Banze
Phone00 258 214 04923
Emaildirlusophone@genderlinks.org.za
AddressAv. Ahmed Sekou Touré, 3025, Maputo, Moçambique